Blog Automobilismo em Debate


PAUSA

Nos encontramos temporariamente fora do ar!

Obrigado pela compreensão. Voltaremos em breve.



Escrito por PG às 00:41
[   ] [ ]




POCONO

Foto: Grande Prêmio

SALVADOR - Contando com uma estratégia perfeita no final, Tony Stewart, que estréia neste ano como dono de equipe, venceu as 500 milhas de Pocono neste domingo (7), sua segunda vitória na temporada e a primeira contando pontos para a classificação.

Largando na última fila, com o carro reserva, pois havia batido seu Chevrolet Impala durante o treino livre de sábado, Stewart não demorou muito para escalar o pelotão. Após 20 voltas, já figurava entre os 15 primeiros, aproximando-se dos líderes. Enquanto os pilotos da Roush dominavam a prova, com Carl Edwards, Greg Biffle e Matt Kenseth, ocupando as primeiras posições. Ainda buscando sua primeira vitória na temporada, Edwards teve uma grande atuação, liderando 103 das 200 voltas previstas. 

A prova foi marcada pelo pequeno número de bandeiras amarelas, foram apenas cinco no total, sendo que duas delas foram causadas logo no início por Denny Hamlin. Um dos grandes favoritos para vencer em Pocono, o piloto do carro 11 teve problemas de alimentação no motor e acabou parando duas vezes no meio da pista.

Faltando 41 giros para o fim, os líderes aproveitaram uma bandeira amarela para trocar pneus e reabastecer os carros. Porém, se não houvesse outra paralisação, quem quisesse chegar ao final sem parar novamente, teria que economizar combustível.

Na relargada, Stewart apertou o ritmo, abrindo uma boa vantagem de seis segundos em relação a Edwards. Enquanto isso, alguns pilotos optaram pela estratégia segura e pararam nos pits, como Kasey Kahne, que ocupava o segundo posto, Mark Martin e Kyle Busch.

No final, todos os ponteiros diminuíram bastante o ritmo, principalmente Stewart. Tirando o pé do acelerador quase no meio das retas, viu sua liderança cair para apenas dois segundos, quando faltavam dez voltas para o fim. Entretanto, também preocupado com o consumo do seu Ford Fusion, Edwards não conseguiu se aproximar mais do carro 14, terminado na segunda posição. Foi o 34º triunfo de Stewart pela categoria principal da Nascar e a terceira em Pocono.

David Reutimann surpreendeu novamente, terminando na terceira colocação. Jeff Gordon foi o quarto, seguido por Ryan Newman, companheiro de Stewart, e Marcos Ambrose. Brigando pela segunda posição até a penúltima curva, Jimmie Johnson acabou ficando sem combustível e se arrastou até a linha de chegada, terminando em sétimo. 

Na próxima semana, os pilotos disputam em Michigan a 15ª etapa da temporada.

Fonte: Grande Prêmio



Escrito por PG às 00:13
[   ] [ ]




SAKIR

Foto: Grande Prêmio

SALVADOR - Jenson Button está impossível. Nada resiste ao inglês em 2009. Nem mesmo uma escrita ou um tabu. O representante da Brawn venceu o GP da Turquia, em Istambul, neste domingo (7). Com esse êxito, alcançou dois feitos: conquistou a sexta vitória em sete provas, o que não era visto na F1 desde 2004, quando Michael Schumacher fez o mesmo; tornou-se o primeiro piloto a vencer na pista turca sem ter largado da pole-position.

A sétima corrida da temporada também mostrou dois lados extremos de uma equipe. Se a Brawn vai à loucura com um piloto que simplesmente passa por cima dos seus rivais, vê outro sofrendo com a pressão interna de ter de mostrar, ao menos, um desempenho à altura de seu companheiro com o mesmo equipamento. Se Button passeava, Rubens Barrichello passou por inúmeros problemas, não lutou pela vitória em nenhum instante e abandonou. Foi a primeira vez que a Brawn não pontuou com seus dois representantes neste ano.

Largando da pole-position, a missão de Sebastian Vettel era de manter a ponta. Como estava mais leve do que os dois pilotos da Brawn, o alemão precisaria impor uma boa vantagem para poder controlar a prova nas janelas de paradas. 

O destaque da frente foi Jarno Trulli, que aproveitou o apagão de Barrichello, foi para cima de Mark Webber e subiu duas posições, indo para terceiro. Só que o australiano não esperou muito tempo para superar o italiano e completou a volta inicial entre os três primeiros.

Na briga pela liderança, Vettel segurou Button e conseguiu permanecer na frente. Por algumas curvas. Ainda na primeira volta, o inglês mostrou que tinha – e teria – melhor ritmo de prova e deixou o rival para trás, assumindo o primeiro lugar.

Sem ultrapassar Button, Vettel foi para a segunda parada na volta 29. A partir dali, o piloto da Brawn só tinha de administrar e não cometer erros bobos. O que, de fato, aconteceu. O contraponto da Brawn era Barrichello, que abandonou depois de sua série de problemas. Definitivamente, um dia para esquecer.

Quanto ao representante da Red Bull, haveria mais uma parada a ser cumprida. Nessa, o alemão perdeu a segunda posição para Webber. Nada muito sério, porque Sebastian era mais rápido e poderia recuperar um posto. Só que aí o jogo de equipe entrou em cena.

Os engenheiros da RBR disseram a Vettel para poupar equipamento, para não ter uma disputa entre os companheiros de time, que poderia, no pior dos cenários, provocar um acidente que acabasse com a prova de ambos. Assim, Webber se debruçou sobre o segundo lugar e Sebastian teve de se contentar com o terceiro

Robert Kubica marcou a ressureição da BMW Sauber, que voltou a figurar na zona de pontuação de uma etapa. O polonês foi o sétimo. O último pontinho disponível ficou com Timo Glock. Não foi aquela reação, mas a Toyota recuperou-se do desastre visto em Mônaco.

Com mais uma vitória, Button é o líder absoluto do campeonato, com 61 pontos. A vantagem sobre Barrichello agora é de 26 pontos. Rubens, com 35, agora vê a aproximação de Vettel, que foi para 29, seguido de Webber, que tem 27,5.

Fonte: Grande Prêmio



Escrito por PG às 17:46
[   ] [ ]




DOVER

Foto: Grande Prêmio

SALVADOR - Desde o início, Johnson mostrava ter um dos melhores carros na pista e não teve muito trabalho para escalar o pelotão e alcançar os líderes. O piloto da Hendrick liderou um total de 298 das 400 voltas previstas.

Com seu Chevrolet Impala muito bem acertado, Johnson não tinha problemas com os pneus e parecia caminhar tranquilo para a vitória. Greg Biffle, Kurt Busch e Mark Martin andavam bem, mas não o suficiente para fazer frente ao carro 48. Entretanto, faltando pouco mais de 30 voltas para o fim, uma bandeira amarela trouxe um pouco mais de emoção para a prova.

Optando por trocar os quatro pneus, Johnson acabou caindo da primeira para a oitava posição, atrás de pilotos que trocaram apenas os dois do lado direito. Na relargada, o tricampeão não perdeu tempo, subindo rapidamente para o terceiro posto, atrás de Greg Biffle e Tony Stewart. Com seu carro saindo muito de traseira, Biffle acabou perdendo a liderança e assistiu de camarote a uma grande batalha pela vitória.

Mesmo com dois pneus mais velhos, Stewart segurou bravamente a ponta até as duas últimas voltas, bloqueando todos os traçados possíveis. Porém, acabou deixando um pequeno espaço por fora na saída da curva dois, e o tricampeão Johnson não desperdiçou a oportunidade, fazendo uma bela ultrapassagem e caminhando para sua 43ª vitória na Nascar. Ele agora ocupa a terceira posição na classificação.

Na próxima semana, a Nascar vai a Pocono, no estado da Pensilvânia.

Fonte: Grande Prêmio



Escrito por PG às 23:55
[   ] [ ]




RAPIDINHAS DA F1

Foto: F1mania.net

SALVADOR - A decisão dos nove times da Fota (Associação de equipes de F1) que enviaram na sexta-feira suas inscrições à FIA para o Mundial de 2010, mas condicionando a participação à manutenção do regulamento atual na próxima temporada, foi defendida neste sábado (30) por Stefano Domenicali. O chefe de equipe da Ferrari afirmou que a associação se manteve fiel aos seus princípios, e que o pacote de propostas feito a Max Mosley atende grande parte das intenções de reduzir os custos da categoria.

Segundo o dirigente, a inscrição das nove equipes — a Williams já enviara seus documentos e, por isso, está suspensa da Fota — não significa que a entidade aceitou o teto orçamentário. "É muito simples: os times condicionaram suas participações à assinatura do novo Pacto de Concórdia e ao uso das regras atuais, modificadas com as nossas sugestões. A ação que a Fota tomou está plenamente de acordo com os princípios da Ferrari e da associação", explicou.

"E absolutamente não aceitamos o teto orçamentário", ressaltou Domenicali. "O pedido pela manutenção do regulamento de 2009 é o ponto inicial, pois significa que não teremos um limite."

Entretanto, o italiano fez questão de destacar que foram feitas propostas de reduzir os gastos a um limite aceito por Mosley. "A FIA quer reduzir os custos por dois objetivos: evitar a saída de times existentes e facilitar a chegada de novas equipes. Conseguimos atingir as duas metas. Os custos serão reduzidos, e esforços serão feitos para manter todos na F1", afirmou.

Fonte: Grande Prêmio



Escrito por PG às 18:06
[   ] [ ]




RAPIDINHAS DA F1

Foto: F1mania.net

SALVADOR - O comunicado da Fota emitido nesta sexta-feira, condicionando a participação dos dez times do grid atual da F1 em 2010 à manutenção do regulamento desta temporada — incluindo a ausência do teto orçamentário, substituído por reduções drásticas de valores gastos na categoria — ainda não foi comentada pela FIA. A entidade segue em silêncio e não fala sobre quais dos 16 times terão suas inscrições aceitas no próximo Mundial, nem sobre qual será o regulamento. Mas Bernie Ecclestone falou.

Entrevistado pelo jornal "The Times" deste sábado (30), o presidente da FOM garantiu que o campeonato do ano que vem será disputado com um limite orçamentário, mas não especificou qual o teto. "Tenho certeza de que teremos o teto", disse Bernie, antes de brincar sobre o que espera para os próximos dias. "Acho que estamos vendo o começo de uma batalha gigantesca."

"Falando sério", continuou o dirigente, "isso é o começo de algo muito positivo." A FIA deve anunciar quais serão as 13 equipes confirmadas para 2010 no dia 12 de junho.

Fonte: Grande Prêmio



Escrito por PG às 18:03
[   ] [ ]




RAPIDINHAS DA F1

Foto: Grande Prêmio

SALVADOR - Em nota divulgada nesta sexta-feira (29), a Fota anunciou que todos os seus integrantes fizeram uma "inscrição condicional" no Mundial de 2010 da F1.

No documento, a entidade diz que houve um acordo unânime entre os times, que estão juntos em uma proposta para unir desenvolvimento tecnológico e esportivo e ajuda às equipes novas — e que não é o teto orçamentário de £ 40 milhões proposto por Max Mosley.

O texto, enviado no último dia do prazo para o registro na temporada, não explicita detalhes da ideia, que será mais um mecanismo de corte de custos na categoria para os próximos três anos. Para a temporada que vem, a Fota diz que a base do regulamento será a regra de 2009, sem a adoção de duas regras diferentes para as equipes, que seria uma consequência da proposição da FIA de limitar os orçamentos.

Em troca da inscrição, os times poderão assinar um novo Pacto da Concórdia até o próximo dia 12, desde que se comprometam com a F1 até 2012. "A renovação do Pacto vai prover segurança para o futuro do esporte, obrigando todas as partes a um relacionamento formal que vai assegurar a estabilidade", diz o texto.

Estão inscritas para 2010: Ferrari, McLaren, BMW Sauber, Renault, Toyota, Red Bull, Toro Rosso, Brawn, Williams, Force India, Campos, USF1, Prodrive, Litespeed*, N. Technology**, Lola e March. Porém, o regulamento prevê que o grid máximo deve conter 26 carros – ou seja 13 times. Três vão sobrar, e a confirmação de quem vai entrar e sair só será dada pela FIA no dia 12 de junho, no anúncio das participantes do Mundial. A depender do critério utilizado, então, nem as tradicionais escapam desta possibilidade. 

Diante da imprecisão do texto anunciado pela Fota, a hipótese mais recentemente aventada pela imprensa europeia não está descartada. Segundo a "Auto Motor und Sport", o teto orçamentário pode subir para € 100 milhões, com a adoção de carros customizados para times novatos. Uma nota da FIA à imprensa é aguardada para as próximas horas.

Fonte: Grande Prêmio

*Alexander Wurz aproveitou o prazo de inscrição e registrou sua própria equipe, a Superfund, patrocinada pelo milhonário austríaco Christian Baha. Agora são 17 equipes ao todo pretendentes a alinhar no grid da F1 em 2010. Dia 12 de Junho sai o veredicto final. Tomara que a FIA opte pela pré-qualificação e deixe todo mundo tentar correr. Azar das TVs e sorte dos reais e verdadeiros amantes dos esportes a motor.

**A italiana N. Technology também fez sua inscrição para o próximo mundial e se aceita será comandada pelo ex presidente do canal Eurosport. A equipe fez parte do antigo ETCC, onde foi responsável pelos modelos da Alfa Romeo e pretende utilizar o motor da Cosworth e o chassi a ser projetado pela Tartuus (construtora dos monopostos da F-Master). Elucubra-se a candidatura desta equipe ao forte nome da Alfa, a qual poderá voltar à categoria máxima do automobilismo depois de décadas de ausência.



Escrito por PG às 18:00
[   ] [ ]




MONTE CARLO

Foto: F1mania.net

SALVADOR - Jenson Button, que soma 51 pontos na classificação geral, apesar de comedido na entrevista coletiva, definiu por várias vezes como fantástica a vitória conquistada neste domingo (24) em Mônaco. Foi a primeira vez que o inglês da Brawn venceu no Principado. O triunfo, o quinto da temporada, ampliou ainda mais a liderança de Button no Mundial.

Jenson ainda revelou que ficou surpreso com a escolha de pneus dos rivais. "Fiquei um pouco surpreso em ver que a maioria de nossos adversários optou pelos pneus duros. Mas nós escolhemos os macios e até o final da segunda parte da corrida, eu briguei um pouco com o carro. Os meus tempos não estavam tão competitivos. Mas, depois da parada, achei que o carro não renderia tão bem com os macios, mas não foi o que aconteceu. Conseguimos melhorar o nosso rendimento", explicou.

Por fim, o britânico não escondeu a alegria em vencer nas ruas de Monte Carlo. "Eu tinha na minha cabeça que, se conseguisse levar o carro até o fim, ficaria mais fácil vencer aqui. As últimas duas voltas foram muito boas. Foi muito divertido. Já tinha uma boa vantagem, então foi legal. Além disso, consegui manter o ritmo e aproveitar esse momento tão especial", celebrou.

A edição 2010 de Mônaco foi, sem sombra de dúvida, uma das mais previsíveis nos últimos dez anos. Nem os nanicos deram o ar da graça. Neste ano nada de Sutil segurando McLaren (quem???), nada de Toyotas, nada de STR. Enfim a previbilidade reinou entre paisagens maravilhosas, mulheres bonitas e luxuosos barquinhos de mais de cinco milhões (não necessariamente nesta ordem).

Barrichello. Ahhhhh Barrichello! Está levando um banho pior que o heptacampeão lhe deu nos tempos da equipe vermelha de Maranello. Não adianta chorar, reclamar da estratégia da equipe nem das paradas nos pits. O fato é único: continuar virando mais devagar do que seu companheiro. Retórica observada desde sempre em sua carreira.

Como está se tornando chato acompanhar a F1 ...



Escrito por PG às 01:44
[   ] [ ]




LOWE´S

Foto: Grande Prêmio

SALVADOR - Graças à estratégia perfeita da equipe, David Reutimann conquistou a primeira vitória pela categoria principal da Nascar no tradicional Lowe’s Motor Speedway. Foi também o primeiro triunfo da equipe Michael Waltrip Racing, que começa a dar sinais de evolução após um início difícil na categoria.

Após não permitir a realização da corrida no dia anterior, a chuva continuou a atrapalhar os pilotos nesta segunda feira (25). A prova foi paralisada três vezes por causa da chuva, antes de ser definitivamente encerrada.

Logo no início, Kyle Busch ultrapassou o pole-position Ryan Newman e dominou grande parte da prova, liderando 173 das 227 voltas disputadas. Porém, um erro na estratégia tirou a vitória do piloto da Gibbs.

Na volta 221, a chuva começou a cair, e a bandeira amarela foi acionada. Apostando no recomeço da prova, os 13 primeiros entraram nos pits para troca de pneus e reabastecimento, enquanto Reutimann, Newman e Robby Gordon resolveram arriscar e permaneceram na pista. Seis giros mais tarde, a prova foi paralisada.

Durante quase duas horas, os comissários da Nascar esperaram a melhora do tempo. Quando a chuva dava uma pequena trégua, os caminhões da categoria entravam para secar a pista, mas logo uma nova tempestade caía sobre o circuito. Com a previsão do tempo nada otimista para o resto da tarde, decidiu-se encerrar a prova, dando a vitória para Reutimann. Ele agora ocupa a 13ª posição no campeonato, seis pontos atrás de Mark Martin, que hoje seria o último classificado para os playoffs.

Na próxima semana, os pilotos vão para Dover, na 13ª prova do campeonato.

Fonte: Grande Prêmio



Escrito por PG às 00:41
[   ] [ ]




INDY 500 - A ressurreição brasileira

Foto: F1mania.net

SALVADOR - A vitória das 500 Milhas de Indianápolis ficou com o brasileiro Hélio Castroneves. Foi a redenção de um piloto que passou seis meses parado respondendo uma acusação na justiça e depois de ser inocentado deu a volta por cima na vida e na carreira. 

A prova foi, na verdade, um pouco monótona na primeira metade, pois o que se viu foi um domínio total da equipe Chip Ganassi com Dario Franchitti e Scott Dixon. Daí vieram as repetidas bandeiras amarelas e a Ganassi cometeu erros imperdoáveis nos boxes para uma equipe que anseiava uma dobradinha final para seus pilotos. 

Castroneves, que passou a prova inteira entre os cinco primeiros, aproveitou-se e deu o bote faltando cerca de 50 voltas para o término. Depois foi só impor um ritmo forte até a bandeira quadriculada e conquistar assim sua terceira vitória na mais importante prova da categoria.

Entre os outros brasileiros, Mario Moraes foi atingido pelo Marco Andretti logo no início, Tony Kanaan bateu na primeira metade da prova e Vitor Meira e Raphael Matos acabaram se tocando e abandonando.

De longe, esta Indy 500 em nada pareceu àquelas provas homéricas dos bons tempos de Emerson, Michael Andretti, Al Anser Jr. e Sr., Rick Mears, Danny Sulivan, Bobby Rahal, Roberto Guerreiro e cia ... Uma corrida chata e sem grandes atrações, fora as pancas dos atrapalhados brazucas nada de tão importante aconteceu.

Parabéns a Danica pelo terceiro posto - melhor posição final de uma mulher na história de Indianápolies - e principalmente ao grande vencedor Helinho que passou a liderar com folgas o ranking dos principais vencedores da Indy deixando para trás Emerson com duas vitórias e Gil de Ferran com um triunfo.

Além de estar sempre entre os primeiros, Castroneves deve agradecer à estratégia de Roger Penske que conseguiu transformar Briscoe em escudeiro nas últimas voltas e power em um grande nome da corrida.

Final:

1º - Castroneves - BRA - Penske - 3:19:34.6427 - 200 voltas

2º - Wheldon - ING - Panther - +1.9819

3º - Danica - EUA - Andretti Green - +2.3350

4º - Bell - EUA - KV - +2.7043

5º - Power - AUS - Penske - +3.6216



Escrito por PG às 01:01
[   ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 



Meu perfil
BRASIL, Homem
Histórico
Categorias
  Todas as Categorias
  Calendário F1
  Calendário F-Indy
  Expediente
  Homenagens
  Calendário Nascar Sprint
Outros sites
  Blog do Capelli
  Blog do Flávio Gomes
  Blog do Téo José
  Blog da Aline Multiply
  Blog do Velocidade.org
  Blog do F1 Grand Prix
  Blog do Fábio Seixas
  Blog do Café com F1
  Blog do Marcelonso
  Blog do Ico
  Blog da Alessandra
  Blog do Roberto Figueroa
  Blog do Sérgio Lago
  Blog do Victal
  Blog do Paddock F1
  Blog do Pandini
  Blog do Lívio Oricchio
  Blog do Rodrigo Mattar
  Blog do BrF1
  Futebol NE
  Futebol BA
  Leão da Barra
  Blog da Confraria do Esp.
  Blog do P.V.C.
  Rádio Rock Freeday
  Rádio Rockalicious
  Dicionário/Tradutor